quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Querer mais que vontade



É olhando a linha que nos separa
que a vontade sedenta morde o teu vulto

sou víbora airada, alucinada pelo teu odor
trespasso, invado e domino-te os contornos

do teu colo avançam os dedos fingindo delicadeza
lentos e atilados
acautelam-me os sentidos
serás presa dócil, submissa desfrutando da iguaria

acorrentado o teu corpo oscila
em júbilo do ardor da mordida acérrima

num sopro gemido contestas a tua oportunidade
falhada,
proibida

sou víbora airada, sem vénia, sem permissão, sem restrição.

Vera Carvalho

Foto de A. Brito
Também em http://petalasminhas.blogspot.com

2 Comments:

Joaquim Alves said...

Belíssima foto, onde o corpo e a luz
desenham vida.
O texto é o interior do que não se vê.
E mais não consigo dizer. Sinto.
Obrigado, Vera.

© Piedade Araújo Sol said...

Muito belo o poema.

A foto está muito bem escolhida.

Beijo