quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Um casal sem remédio

Joana apanharia o avião no dia seguinte. Cláudio amava-a de um jeito que não se poderia repetir com outra pessoa. Se a deixasse escapar, não mais Cláudio voltaria a sentir o seu pequeno coração vermelho bater como se fosse um tambor.

Joana iria morar para a Austrália.

Cláudio ficaria para sempre preso aos seus tristes dias.

Se ao menos ela tivesse desejado passar aquela última noite com ele, talvez as saudades do rapaz não se fizessem sentir de forma tão arrebatadora. Mas não. Joana quis ficar no hotel a fazer as malas. Quis ficar longe daquela pessoa a quem dissera amo-te durante onze meses inteiros. Quis fugir.

Cláudio estava triste, cabisbaixo, perdido. Não voltaria a ser ninguém sem Joana a seu lado.

Também no 00:04

1 Comment:

Scoya said...

A todos custa a perda de "um amor", mas todos temos a capacidade de nos recompor. Afinal de contas, por mais "pedaços que nos levem", o nosso organismo regenera-se :)
Um beijinho e FELIZ 2008