terça-feira, 4 de dezembro de 2007

ORGASMO ESPIRITUAL

Um gesto. Um olhar tão penetrante
Todo o meu ser intemporal se inquietou.
Silencio. Mas com sentir, num instante
Meu corpo balanceante a tremer, gozou…

Vai e vem compassado, certo e cantante
Subiu de ritmo e minha alma se elevou
Qual estrela cintilante, assaz brilhante
Como um devaneio de quem já amou…

Cada vez mais ágil qual ritmo pagão
De costas, batendo com força no chão
Gemendo e gerindo a agonia do prazer…

Mais forte ainda, em fúria desenfreada,
Numa rapidez flutuante, animada,
Foge o grito final que faz desfalecer…



03.11.07

1 Comment:

Scoya said...

Intensamente belo.