sexta-feira, 30 de novembro de 2007

A Sombra das Mágoas

Associei-te ao vento
e pude ir contigo
aliciado encostado
imerso na fantasia
sem mágoa
ou fuga premeditada
Fui de mão dada
no turbilhão
da vibrante manhã
sem o sono
o purgatório
atormentado
apenas olhei
com olhos de amor
de dar a vida
sem hesitar
Apenas no rodopio
no vento
incerto
a provação
do deserto
e podia apenas sorrir
amar
descansar a alma
e ias nua
de preconceitos

As mágoas fugiram
num destino incerto
as mão sentiram
o afecto bem de perto
Não escolhi sombras
nem persegui conceitos
nunca encolhi os ombros
nem na pior das maleitas
Fui levado no vento
na profusão de amor
esquecendo as sombras e a dor
Apenas senti um abraço
forma quente de me saciar
apenas um sorriso desencantar
Apenas a luz
na sombra das mágoas
o amor e tudo o que seduz
desmedido sem palavras
apenas ensinando
a VIVER
E deixei de ter medo
da sombra
do ultimato de futuro
que não quero saber
quero apenas o presente
sem sombras
ou trevas anunciadas

www.manuelmarques.com

1 Comment:

Scoya said...

O presente é o melhor que poderias ter. Isto porque o passado traz saudade e o futuro ansiedade.
Vive e goza :)

Um beijinho