sábado, 23 de agosto de 2008

ANTES DA PALAVRA




Eu te chamo com todo o silêncio,
Nos pequenos gestos discretos,
Nas páginas do livro que leio.

A chama me conduz ao teu nome,
Inflama a existência das coisas,
Reduz a rua a um passo apressado.

Olho-te sem que me vejas olhar,
Queimo o verbo em única pessoa,
Colho aves que transpassam o céu...

As folhas da amendoeira estão em pó
Mas eu fico quieta e espero
Se teu nome ecoa, eu escuto e calo...

2 Comments:

º°Manaxica°º said...

Ui, ui..
Que lindo!

Ai, como amei isso!


Obs:Invadi!!

Anónimo said...

Coisa bela, dá para sentir! Parabéns!!!

Abraços,
Casti