sábado, 19 de janeiro de 2008

sou

Procuro nas nuvens que passam,
as lágrimas que verti,
olho-as ao vento,
disformes,
brancas,
negras,

procuro atento,
pedaços de mim.

Sou,
arqueólogo,
sem história,
que anda sem rumo, por ali.

lágrima esculpida ,
azul,
verde,
carmim…

Ah, velas sem navio,
mar sem fim,
deixem-me ser nuvem,
palhaço-criança,
jardim...

Procuro no céu,
a ave migrante
que fugiu de mim...

Sou,
flamingo azul,
que anda por aí,
perdido,
réu,
navegante...
Ah,
Sou,
poema sem véu,
peregrino sem (a)deus,
pintor sem tela,
sem Tempo,
Livro
esquecido,
evaporado,
queimado-vivo…

sem chama,

letra só,
sem sentido!

1 Comment:

© Piedade Araújo Sol said...

Olá

Li e mesmo sem ler o autor, sabia que eras tu.

Lindas palavras, sentires, em forma de poesia.

Bem vindo Jeremias....