quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Quando se perde um amigo...

Quando sentimos que perdemos um amigo

parte de nós é lágrima que cai desamparada...

mas cá dentro, há um sorriso triste

a recordar os bons momentos

que esta amizade nos deu.

Nasce um vazio

de um todo quebrado

e um mar cinzento

chora despedaçado

pelas memórias que perderam a cor.

Abre-se um buraco no peito

e a enxada deve ter lâmina dura

porque nos escava uma ferida tão profunda

que esburaca o corpo só para nos atingir

em cheio o recheio da alma.


Se eu tivesse uma pedra no lugar

onde vi plantado o meu coração

Talvez,soubesse como impedir

que a dor me roube mais esta seara...



Quando sentimos que perdemos um amigo...

as pernas caminham sem destino

porque os passos esqueceram o seu rumo

e dormem sozinhos junto á estrada.

Há braços com frio

porque sonham com um abraço...

Há um pássaro a baloiçar naquele ramo

mas já sem vontade de cantar

para aquele banco de jardim vazio...

Há palavras sem força suplicando vozes na garganta

e restos de gritos que dela saíram altos demais...

Há quadros pintados com os dedos logo pela manhã

e arco-íris que desmaiam lá pela noitinha...

Há lágrimas abençoadas

que se ajoelham fielmente a rezar por nós

e sorrisos danados a rir do desespero das minhas preces.

Há poemas colados ao tecto

porque querem preservar no céu esta história

sem acreditarem que ela chegou ao fim...

Há sonhos por perto rasgados no chão

e folhas de papel tão teimosas que se recusam a voar para longe...


Ai se eu tivesse asas nas costas

para dar utilidade a todas estas penas!

Se eu soubesse o valor da eternidade dos gestos

e das promessas que se proferem sem olhar.


Mas, porque é que a tristeza me faz pensar

que hoje perdi um amigo...

se ainda ontem sorria tão feliz por o encontrar?


Daniela Pereira
Direitos Reservados

4 Comments:

Manuel Marques said...

Pior que perder um amigo, é sorrir um dia com esse amigo e ele morrer depois de o deixarmos, quando haviam tantos planos por desabrochar, tantas aventuras por desencantar.
A memória fica mas a dor é tal e qual a que descreveste, e por vezes torna-se insuportável aguentá-la! Beijos!

Ropheka said...

NICE Blog :)

MERRY Christmas :)

M. Alves said...

Senti bem dentro estas palavras... e por ter perdido um amigo há bem pouco tempo ecoaram mais do que o que é normal...
Parabéns! Bonito texto!

blueiela said...

Manuel,ropheka e m.alves


Obrigado pela leitura e pelas palavras...
Não perdi um amigo fisicamente...mas perdi-o cá dentro,porque a vida fez com que eu deixasse de existir.E quando se deu tanto a uma amizade...como eu dei a esta...ñ dá para entender que tudo isto tenha sido pouco para a tornar eterna.Mas é a vida...

beijinhos

daniela