quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Boas Festas


Nesta altura do ano, desejamos sempre o mesmo: O melhor para todos, através de frases e palavras que já nada têm de original.

Sinceramente, desejo a todos Vós, o melhor Natal de sempre, mas deixo os meus votos através das palavras de um grande poeta: Ary dos Santos.



Tu que dormes a noite na calçada de relento
Numa cama de chuva com lençóis feitos de vento
Tu que tens o Natal da solidão, do sofrimento


És meu irmão amigo
És meu irmão


E tu que dormes só no pesadelo do ciúme
Numa cama de raiva com lençóis feitos de lume
E sofres o Natal da solidão sem um queixume


És meu irmão amigo
És meu irmão


Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser


Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher
Tu que inventas ternura e brinquedos para dar
Tu que inventas bonecas e combóios de luar
E mentes ao teu filho por não os poderes comprar


És meu irmão amigo
És meu irmão


E tu que vês na montra a tua fome que eu não sei
Fatias de tristeza em cada alegre bolo-rei
Pões um sabor amargo em cada doce que eu comprei


És meu irmão amigo
És meu irmão


Natal é em Dezembro
Mas em Maio pode ser
Natal é em Setembro
É quando um homem quiser


Natal é quando nasce uma vida a amanhecer
Natal é sempre o fruto que há no ventre da Mulher

(Ary dos Santos)

2 Comments:

Manuel Marques said...

E cantado pelo Paulo de Carvalho já escutaste? Eu pessoalmente foi assim que conheci o poema...

Como é do Ary dos Santos estás dentro do espírito natalício que vale a pena celebrar!

Beijo!!!

PJ: said...

Boas festas e até breve!

Beijos em ressaca de laboratório na faculdade,

Pedro José :)