sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Ardente Confusão









"sou eu, uma ardente confusão de estrela e musgo"
Herberto Helder


apetece-me carne batida misturada com algas

apetece-me pôr-te um cravo dentro da boca

e cortar uma maçã aos pedaços

apetece-me quebrar o sol entre os dedos e beber

o teu nome, tomar-te entre as mãos

e fazer um dardo que se atira


amar-te, multiplicar-te, difundir-te

secretamente


apetece-me destruir o ruído e lamber flores

com natas

entrar no tempo e escorregar no teu sangue

tenho fome de ossos quentes, búzios e água fria


sou verão

sou fruto

sou palavra


apetece-me incendiar as musas, sugar-lhes as vísceras

polvilhadas de canela

deitar-me, adormecer e sonhar alto

tenho fome de malmequeres, papoilas

e luas verdes


sou amora

sou musgo

sou estrela


numa ardente confusão

tenho fome...

apetece-me...

Foto: Carlos Weick

2 Comments:

Palavras ao vento said...

Claro que quero comentar!

Começo por dizer que fiquei deslumbrada com o estilo poético...

Voltarei para ver todo o Blog.

Bom fim de semana.

Beijinhos,

Anónimo said...

SILÊNCIO CULPADO disse...
Perante uma grande sacanice que está a ser feita sobre alguns professores que não recebem vencimento,têm horários d e12 horas ou estão a recibos verdes sugere-se que todos os blogues publiquem a notícia que está no http://cegueiralusa.blogspot.com