domingo, 8 de fevereiro de 2009

VERSO IMPERATIVO


Briton Riviere

Nenhuma flor nasceu à boca
antes do emaranhar das asas,
singulares brancas borboletas
enroscadas aos lábios: você sorri!

Facho feito foco, luz ímpar,
selvagem intenso peito abrigo,
teus vales sigilosos vieram!

Eu devia tapar os olhos
e silenciar na redoma!

Mas natureza corrompida,
sou pecado somado e escândalo
fluída sensação de outra Era!

Foge minha fúria ao ver-te
pois que olhos são signos...
Imperativo é verter em mim
teu sorriso de domar as feras!

3 Comments:

Vergilio Torres said...

Uma vénia...

E um sorriso :)

betina moraes said...

vergilio,

o-b-r-i-g-a-d-a,

e um sorriso idem,

Tecnenfermaginando said...

ainda por aqui... a me encantar com tamanha beleza!
:)