terça-feira, 16 de setembro de 2008

PAPILAS




Laço, no fio de açúcar, um nó na boca,
Algodão doce como roupa de dormir
É veste que derrete se sonhar quentura...

Um bombom no lugar do seio direito
Farta desejos que não se controlam,
Cereja no leito é deleite para insone...

Durmo e acordo pensando chantilly,
Se o mundo é perfeito ou com defeito
Uma calda de delírio salva a receita...

2 Comments:

Liliana Jasmim said...

hum...esta fotografia e este poema "casam" muito bem:)

betina moraes said...

liliana,

:)!