quinta-feira, 17 de abril de 2008

Hajam flores caindo porque a chuva cansa...




Hajam flores para combater a chuva espetando nas gotas pétalas de luz...
Hajam flores para forrar todos os buracos que se abrem nos caminhos quando os cegos dão os seus passos inocentes...
Hajam flores onde a lua se cruza com o sol para celebrar a pureza desse encontro...dispam-se as nuvens das suas vestes cinzentas e pintem-lhes as bochechas de branco...
Hajam flores navegando nos rios sem destino algum...só pelo prazer do aroma da viagem...
Hajam flores apertadas nas mãos dos amantes assistindo envergonhadas às carícias que se amam lá no alto...
Hajam flores trepando o branco das paredes com pés de alecrim e braços curvados com costas nuas...

Hajam flores a morrerem pelos cantos e outras tantas a nascer sozinhas nas curvas...

Hajam sonhos despidos e borboletas sombreadas à procura de jardins encantados...


Daniela Pereira
Direitos Reservados

Foto por Daniela Pereira in Olhares

4 Comments:

Hermínia Nadais said...

Quando nos deparamos com tanta beleza... então vemos melhor a nossa pequenez!...

blueiela said...

hermínia:)

Muito obrigado pelas tuas palavras...também me sinto pequena perante os sentimentos....


beijos

daniela

Manuel Marques said...

Um poema maravilhoso este, diria que te excedeste aqui... e até nos podemos sentir pequenos perante os sentimentos, mas a alma com que os expões é, como diria o Mia Couto, fabulástica! E mais isto dará, se alguém o quiser fazer um poema majestosamente declamado! Beijos e parabéns pelo teu impressionante talento!

blueiela said...

obrigado Manuel..hoje sinto a minha alma mesmo pequena e palavras assim dão alento...


beijos


daniela