quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Grito calado


Sento-me nesta sala apagada e escura. sozinha.
Lá fora é tarde e a cidade já dorme.
E penso que sou como este tapete onde me deito:
Pisada, asfixiada.
Quando foi que perdi a capacidade de gritar?

If I lay here
If I just lay here
Would you lie with me
and just forget the world?



[Excerto: Snow Patrol
Foto: Katia Chausheva]

5 Comments:

© Piedade Araújo Sol said...

Muito bom!

Scoya said...

No entanto, os dias passam e o sentimento muda. A luz do Sol dá nova cor e novas possibilidades.
Gritar pode já não ser solução...
Quanto ao excerto, é inconfundível :D
Beijinhos

Mário Margaride said...

Quantas vezes sufocamos dentro de nós, o grito que queremos gritar.

Belo poema!

Obrigado Tiago, pela visita ao meu cantinho.

E um beijinho à Andreia Ferreira, e os parabéns por estas belas palavras!

Mário

ContorNUS said...

gostei de te ler...

voltarei...

Andreia Ferreira said...

Obrigada a todos. Voltem, sempre :)

Um beijinho grande!