sábado, 15 de dezembro de 2007

Sem corda

Pepe, trinta e seis anos, brasileiro. Quando se quis suicidar, inventou um plano muito simples, que consistia em comprar dois metros de corda, procurar uma figueira, colocar um laço à volta do pescoço e enforcar-se. Infelizmente, Pepe não conseguiu levar o seu projecto para a frente, uma vez que, conhecendo as tendências negras do homem, nenhum comerciante lhe vendeu corda. Pepe ainda tentou encontrar a morte dando cabeçadas numa parede de betão ou atirando-se do cimo de uma nogueira. No entanto, o seu corpo revelava-se bem mais resistente do que o cérebro. Não conseguia morrer.

À noite, o cansado Pepe punha-se a murmurar palavras tontas para as almofadas. Mas, como se sabe, as almofadas não fornecem respostas aos apelos da humanidade. E, por esse motivo, não se via o nervosismo a desaparecer do corpo do pequeno imbecil.

Não conseguindo suicidar-se como queria, não tendo coragem sequer para tentar morrer, de vez em quando, Pepe punha-se aos gritos no meio da multidão, dizendo que odiava a vida.

00:04

2 Comments:

Manuel Marques said...

...mas a multidão muitas vezes já nem tem vida! 1 abraço!

Tinta no Bolso said...

Simples, escorreito.


Bom.


É preciso saber para escrever assim.