quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

quando choro

quando choro

todos os rios do mundo chovem no meu corpo

todos os amores represados desaguam no meu corpo

todos os amanheceres me anoitecem no olhar

por isso

aqui fico

navio soterrado na margem

assim

de braços calados

sem lágrimas


Jorge Casimiro in “murmurios ventos”,

Editora: Pássaro de Fogo


(Foto de Paulo César http://www.paulocesar.eu-paulo/ cesar












1 Comment:

PJ: said...

Bonito!

Beijos atarefados,

Pedro José :)