sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Dormir com frio

Nos dias de Inverno, as saídas de casa eram muito difíceis para o velho Rogério Político. Se não lhe doessem as articulações, aparecer-lhe-ia um aperto no peito. Sendo a dor uma constante da vida de um homem de idade avançada, não será de espantar que, em noites de granizo, Rogério Político pensasse duas vezes antes de dizer à esposa que ia jogar às cartas com os amigos.

Antigamente, tudo era diferente. Rogério Político acordava cedo para o trabalho fabril, almoçava a bucha que lhe pusessem no termo, trabalhava até mais não, e ainda tinha tempo de bater na mulher e de se pôr a andar para a taberna, local onde passava horas e horas a conferenciar sobre o estado do mundo e da nação. Por vezes, Rogério Político não se limitava a gastar as suas noites com os seus camaradas e punha-se em busca da felicidade num bordel. Gostava de sexo.

Com o tempo, a situação foi mudando. O homem que, durante vários anos, se julgara grandioso, quase imperial, ia-se tornando cada vez mais num ser peçonhento, viscoso, velho. Já nem com a esposa Rogério Político conseguia ir para a cama. Estava cada vez mais morto.


Também no 00:04

2 Comments:

PintoRibeiro said...

Bom Natal e um abraço.

Carreira said...

Desejo um bom Natal ao autor do blogue e a todos os seus leitores.

José Carreira

(www.cegueiralusa.com)