terça-feira, 20 de novembro de 2007

Uma semana para esquecer


Na Segunda-feira, ao sair de casa, deparei com um carro estacionado mesmo em cima da passadeira de peões que dá acesso à minha casa. Incomodado, afixei-lhe a meio do pára-brisas um pequeno autocolante amarelo, que trago sempre comigo, que diz: Estacione bem – Respeite os outros.

Na Terça-feira, lá estava o mesmo carro estacionado na passadeira. Indignado, apliquei-lhe, desta vez, um outro pequeno autocolante vermelho que diz: Mal estacionado – Sujeito a reboque.

Na Quarta-feira, o carro estava outra vez na passadeira. Irritado por a minha acção pedagógica não resultar, levantei-lhe os limpa pára-brisas.

Na Quinta-feira, lá estava o carro na passadeira. Exasperado com tanta falta de respeito pelos outros, coloquei-lhe um pauzinho na válvula do pneu dianteiro direito. O ar ficou a vazar.

Na Sexta-feira, o carro estava, uma vez mais, na passadeira. Furibundo, dobrei e amarfanhei-lhe ambos os limpa pára-brisas.

No Sábado, o carro já não estava na passadeira, finalmente. «Há pessoas que só entendem a linguagem da violência» – pensei. Estava um pouco mais atrás. De dentro, um tipo mal-encarado seguia todos os meus movimentos.

No Domingo, o carro não estava visível mas verifiquei, com horror, que o pára-brisas do meu carro, bem estacionado, estava estilhaçado e do lugar do condutor espreitava uma perna, em cimento, de um tanque de lavar roupa.

[Publicado no blogue Universos Assimétricos]

2 Comments:

PJ: said...

Excelente texto.

Um dentro do mesmo espírito:

http://avidairresistiveldepedro.blogspot.com/2007/10/todos-os-dias-passo-por-uma-das-ruas.html#links

Abraço,

Pedro José

Scoya said...

Um texto bem esclarecedor sobre a crescente falta de civismo.