quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Pontos de vista

Fotografia de Scoya @ Sintra - Quinta da Regaleira

Sorriste-me ao abrir a porta da entrada. Pousaste as chaves e vieste dar-me um beijo na testa.
Tinha as malas prontas para sair e uma expressão sisuda na cara.
Trouxeste duas chávenas de café acabadas de fazer, despiste o cachecol e recostaste-te de olhos fechados no sofá, perguntando-me como correra o dia.
Não respondi, apenas suspirei. Abriste os olhos negros e fulminaste-me com a escuridão do teu cansaço. Perguntaste-me o que se passava e o que viria a significar a minha postura.
Olhei para a porta, para as chaves tilintando na minha mão e depois para o teu regaço, onde tantas vezes arfara de prazer.
Aproximaste-te, encostaste os teus seios ao meu braço e tocaste-me os caracóis desfeitos. O meu corpo sentiu um arrepio e as pernas paralisaram ao comando do cérebro.
Só me queria ir embora... Deixar-te de uma vez por todas... Soltar-me das amarras do teu amor, que me deixava obsessivo.
Beijaste-me os lábios e eu, ainda inerte, correspondi. Encostei-te para trás e comecei a despir-te. O meu cérebro parou.
Enquanto os nossos corpos se uniam em perfeita simbiose, gemendo por um prazer que jamais alcançaria noutro local, recuperei a consciência. Tive um orgasmo...
Soltei-te bruscamente, puxei as calças para cima, peguei nas malas e no casaco amarfanhado e saí porta fora, fechando mais um capítulo da minha vida atrás de mim.

Ficaste imóvel, com duas ou três lágrimas jorrando pelo rosto.
Não compreendias, mas respeitavas. Afinal de contas, ensinaram-te que "amar é deixar aqueles que amamos livres".
E foi assim, a nossa louca e vívida história de amor.

Quem sabe como seria, se tivesses vindo atrás de mim...

Postado também aqui.

5 Comments:

PJ: said...

Adorei o novo ponto de vista. Seco como uma pancada, sem meias palavras. Parabéns!

Beijos,

Pedro José :)

© Piedade Araújo Sol said...

Concordo com o pj.

Mas será que o capítulo fechou.

Porque nao continuas?

ainda tens muito "pano para mangas"
acho eu.

Está muito bom...

caty said...

muito bonito ... mas merece mais capítulos... :)
beijos

Manuel Marques said...

Utiliza a outra versão... aquela em que amar é alcançar os sonhos dos que amamos porque fazem parte indelével do nosso ser! Texto fantástico! Beijos!!!

Scoya said...

Obrigada aos quatro pelos comentários.
Sim, concordo que a história ainda não ficou por aqui.
Mais virá :)

Um beijinho e bom fim-de-semana.

Maria Luís