quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Mulher poema


Hoje sinto-me particularmente bela,
Sinto-me mulher,
Sinto-me poema.

O poema é como um corpo de mulher,
Este meu corpo…
Poema

O poema
Devia ser sempre
Suave, leve, belo
Como um corpo de mulher.

O poema devia ser forte, e delicado,
flexível,mas inquebrável.

Como uma mulher.

Para alguns é impenetrável.
Para alguém especial,é aberto,
transparente, claro.

Como um corpo de mulher.

Sim, hoje sinto-me bela.
Sim, hoje sinto-me poema.
Sinto-me mulher

Hoje sou irmã do sonho,
Irmã da lua
Roubei a luz ao sol.
E, no entanto,
Vim ao mundo com a alma talhada
Para ser só um poema

Um poema que tuas mãos escreveram,
Desenharam,
Numa precisão única.

Foi uma invasão
A um campo que,
Se no início se mostrou reticente,
Logo se tornou transparente,
Nas tuas mãos.

Nas tuas mãos sou Poema
E, hoje sinto-me particularmente bela,
Sinto-me mulher,
Poema

3 Comments:

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den said...

Um poema "suave, leve, belo", feminino, "como um corpo de mulher"... muito bonito, parabéns à Tita.

P.S.: já sabemos que o Tiago Nené é de Faro; a iniciativa também é farense ou estende-se a outros pontos?

P.S.2: quem visitar o nosso blog, encontrará na rubrica "And We Embraced Where Lovers Rot Her Ghost in the Blog..." um link para o vosso Blogue das Artes... ficamos à espera do nosso cantinho na vossa rubrica "Quem é que nos anda a difamar?"...;)

PJ: said...

Bem bonita esta ode à mulher!

Heraclita said...

Lindo texto! ;)