terça-feira, 6 de novembro de 2007

Boris Vian


Je veux une vie en forme d'arête

Sur une assiette bleue
Je veux une vie en forme de chose
Au fond d'un machin tout seul
Je veux une vie en forme de sable dans des mains
En forme de pain vert ou de cruche
En forme de savate molle
En forme de faridondaine
De ramoneur ou de lilas
De terre pleine de cailloux
De coiffeur sauvage ou d'édredon fou
Je veux une vie en forme de toi
Et je l'ai, mais ça ne me suffit pas encore
Je ne suis jamais content.

Boris Vian, 1952

3 Comments:

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras said...

Tiago, Antes demais obrigada pelo convite. Vou ler os Estatutos e logo te direi a minha decisão. No entanto sinto que não estou à altura da qualidade dos restantes colaboradores e do aqui publicado. Escrevo com o coração, brinco com sentimentos e palavras...isso, obviamente não faz da minha escrita algo de qualidade, mas somente algo sentido.
Até logo
Beijo

carla granja said...

olá! tenho um blog com poemas de minha autoria se kiseres vem dar uma olhada ;) te confesso k frances nao é o meu forte ,mas sim o ingles,mas entendi um pouco. no meu blog até deixei um adeus ao cantor gregory lemarchal e tenho a musica dele de fundo em meu blog,acho k aprendi a gostar um pouco do francês graças a grégory k até agora foi o unico cantor frances k me seduziu tanto pela sua voz,como a sua bondade k partilhou com todos enquanto cá andou neste mundo :(
bjo e aparece se assim o kiseres
(`“•.¸(`“•.¸ ¸.•“´) ¸.•“´)
♥ uma boa semana e bjos ♥
(¸.•“´(¸.•“´ `“•.¸)`“ •.¸)
carla granja

Tiago Nené said...

aventurem-se nas traduçoes, caros colegas!

:)