sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Acreditas em coincidências?

Sinto que sabes que sei que sentes
A saudade subtil da ausência,
Saudade simples suada de desejo,
Sagrada a esperança de te voltar a ver.
Apenas sei de sangue salpicado
A alma vi rasgada pelo ventre,
Saboreio a dor no remanescente
Em que rareia o tempo em si consciente
Que sente o peso de ter-te
Retida no que resta do meu ser.

Rui dos Santos
Em "A" Poesia

1 Comment:

Scoya said...

Ai como adorei o que li...